NOTÍCIAS  >  NOTÍCIAS  >  Impacte do alburno sobre o saramugo
NOTÍCIAS

2016-11-22 14:27:44

Impacte do alburno sobre o saramugo

O alburno ou ablete (Alburnus alburnus) é um peixe de água doce e tal como o saramugo (Anaecypris hispanica) pertence à família dos ciprinídeos. De origem euro-asiática foi uma introdução relativamente recente na Península Ibérica e a sua expansão tem sido muito rápida. Este facto aliado à falta de informação sobre os impactos que esta espécie possa ter sobre a ictiofauna autóctone, nomeadamente no saramugo, evidenciou a necessidade da realização de estudos neste âmbito. Assim, realizou-se um estudo que teve como objetivo a avaliação de potenciais interações negativas entre o alburno e o saramugo, especificamente ao nível da sobreposição de habitats preferenciais, predação e competição.


Saramugo (Anaecypris hispanica)
Alburno (Alburnus alburnus)

A equipa da Universidade de Évora, parceira do LIFE Saramugo, realizou amostragens das duas espécies numa vasta rede de locais da bacia hidrográfica do rio Guadiana – bacia onde o saramugo é endémico. A presença do alburno, que atualmente ocorre em muitos rios da Península ibérica, foi confirmada em quatro sub-bacias do Rio Guadiana, com destaque para as sub-bacias dos rios Degebe, Caia, Xévora e setor jusante da Ribeira do Vascão onde se verificou uma elevada abundância. Contudo, presentemente, a área de distribuição das duas espécies não é ainda coincidente.

Através dos resultados obtidos constata-se que o alburno realiza movimentações na rede hídrica que permitem a ocupação rápida e progressiva de novas áreas, e que este mecanismo provavelmente constitui um fator chave para o seu elevado sucesso invasivo. Registou-se ainda uma elevada sobreposição na tipologia de habitat ocupado e no regime alimentar de indivíduos de ambas as espécies.

Nos ensaios laboratoriais, em situação de coexistência não se observaram evidências de predação e competição entre as duas espécies. No entanto, registaram-se alterações significativas no comportamento do saramugo, as quais poderão ter implicações indiretas, nomeadamente a nível populacional, se e quando as espécies se encontrarem em coexistência no meio natural.

Os conhecimentos adquiridos, através deste estudo, sugerem que a coexistência futura de alburno e saramugo poderá desencadear efeitos negativos sobre as populações de saramugo, principalmente em cenários de constrangimento ambiental (e.g. limitações de habitat e alimento) e elevadas densidades de alburno.

No entanto, no contexto presente, esta espécie invasora não parece constituir uma ameaça iminente e superior à conservação do saramugo, relativamente à representada pelas restantes espécies piscícolas invasivas na bacia do rio Guadiana. Mesmo assim, os resultados obtidos nesta ação são essenciais para a minimização de potenciais impactos no futuro, pois constituem um importante suporte à implementação de medidas de conservação concretas e melhoria do habitat do Saramugo.
 

Para saber mais sobre o alburno consulte esta noticia.
Para saber mais sobre a Ação responsável por este estudo consulte aqui.

Top