NOTÍCIAS  >  NOTÍCIAS  >  Estudo do impacte do alburno sobre o saramugo
NOTÍCIAS

2015-11-25 14:55:10

Estudo do impacte do alburno sobre o saramugo

Desde o início do ano que está a decorrer na Universidade de Évora o estudo da interação entre o alburno (uma espécie exótica em crescente expansão) e o saramugo, testando a viabilidade desta possível ameaça.

No âmbito do Projeto LIFE Saramugo, a Universidade de Évora está a efetuar diversos estudos para compreender quais os possíveis impactes do alburno nas populações de saramugo, caso ambas as populações venham a co-existir nos mesmos habitats, como se prevê que possa vir a acontecer.

O alburno (Alburnus alburnus) é uma das mais recentes espécies piscícolas exóticas a ser introduzida em Portugal. Esta espécie é oriunda do Centro da Europa, cuja população aumentou fortemente nos últimos anos na Península ibérica, com destaque para a bacia do Guadiana, sendo atualmente uma das espécies com maior potencial invasor. Os fatores que podem contribuir para este sucesso são a elevada eficácia reprodutiva desta espécie, assim como capacidade de utilizar uma grande variedade de recursos alimentares, elevado potencial predatório e uma grande capacidade de tolerância a diferentes condições ambientais.

O alburno pertence à família dos ciprinídeos, tal como o saramugo (Anaecypris hispanica) e muitas outras espécies nativas dos nossos rios. A proximidade genética desta espécie com algumas espécies nativas, como o bordalo (Squalius alburnoides), pode resultar em hibridação (já confirmada no terreno com esta última), levantando a hipótese de o mesmo acontecer com o saramugo, se houver sobreposição dos habitats de ambos, em particular durante a época de reprodução.

As potenciais interações competitivas entre o alburno e o saramugo, bem como, a hipótese da sua hibridação, são ameaças que justificam alertas e a prevenção, de forma a contribuir mais eficazmente para a implementação de ações de conservação.

No campo estudou-se a tipologia de habitat onde o alburno está presente, a sua densidade e proporção relativamente às outras espécies, assim como a sua distribuição e a proximidade às populações de saramugo.

Em condições controladas ex-situ (em tanques exteriores de 400 a 600 L) foram analisados vários modelos de interação entre alburnos, saramugos e bordalos, procurando evidências de predação e competição pelo espaço.

Também se está a testar a possibilidade de hibridação, usando para isso duas técnicas: uma natural, fazendo coexistir cardumes das duas espécies no mesmo espaço durante a época de reprodução, e outra artificial, tentando fertilizar ovos de saramugo com esperma de alburno.

Em 2016 os trabalhos irão continuar, fazendo novas experiências, reforçando as já realizadas, com o objetivo de prever o resultado desta possível ameaça e intervir atempadamente.

Top